A França venceu a Croácia por 4 a 2 e conquistou o bicampeonato mundial

A França confirmou o favoritismo e venceu a Croácia por 4 a 2 no Estádio Luzhniki, em Moscou, tornando-se bicampeã do Campeonato Mundial. O primeiro título foi há 20 anos, em 1998, em casa e em cima do Brasil. Neste domingo (15), os franceses entraram para o clube dos bicampeões ao lado de Argentina e Uruguai, deixando para trás Espanha e Inglaterra, com uma conquista cada.

Para o croata Modric restou a escolha de melhor jogador da competição pela entidade máxima do futebol. Griezmann foi escolhido o melhor do jogo e Mbappé o melhor jovem.

O time de Didier Deschamps conseguiu manter o equilíbrio entre ataque e defesa que demonstrou ao longo do Mundial, com poucos momentos de sofrimento no jogo. Griezmann e Mbappé e seu talento garantiram o placar. Apesar de toda a garra, a Croácia sucumbiu ao desgaste físico decorrente da disputa de três prorrogações, lutando até o final mas permanecendo atrás.

No início a França arriscou, deixando a bola com os croatas e esperando por contra-ataques. E o placar foi aberto da mesma forma que fez contra a Bélgica: a bola parada. Após cobrança de falta, aos 18 minutos, Mandzukic cabeceou para trás e acabou marcando contra. Foi ele quem havia garantido a vaga da Croácia na final, marcando contra a Inglaterra na prorrogação.

Nas arquibancadas a torcida era dividida, com croatas e franceses em grande número, além de torcedores de várias partes do mundo, que optaram por torcer por um dos finalistas.

A Croácia começou com boa apresentação e melhor no jogo, mesmo após o cansaço das três prorrogações nas fases anteriores. Rakitic lançava para Perisic e em uma cobrança de escanteio os croatas conseguiram, aos 27 minutos, o empate, com Perisic, que driblou e chute firme de perna esquerda.

Foi então que, pela primeira vez em uma final de Mundial, o VAR (árbitro assistente de vídeo) foi acionado. Era o que viria a ser o segundo gol da França. Após reclamações dos franceses de toque de mão por Perisic após cobrança de escanteio, o argentino Nestor Pitana ouviu as recomendações dos assistentes de vídeo e foi à beira do campo para rever o lance. Indeciso, finalmente o argentino assinalou o pênalti, cobrado por Griezmann, que deslocou o goleiro Subasic.

A Croácia por pouco não obteve o empate no primeiro tempo, com duas cobranças de escanteio. A primeira etapa finalizou com 61% de posse de bola croata e sete finalizações, mas acertando apenas uma.

A França voltou ainda apostando no contra-ataque. De Pogba para Mbappé. Foi assim que saiu o terceiro gol, aos 14 do segundo tempo, quando Pogba fez seu primeiro gol no Mundial.

A Croácia acabou cedendo espaço e em seguida veio o quarto gol, aos 19 minutos. O jovem astro Kyllian Mbappé chutou de fora da área e fez 4 a 1.

Finalmente, em um erro grotesco do goleiro Lloris, que tentou driblar o atacante Mandzukic e acabou perdendo a bola, a Croácia diminuiu e encerrou o placar em 4 a 2.

Escalações

O técnico da França, Didier Deschamps, escalou Lloris, Pavard, Varane, Umtiti, Hernandez, Kante (Nzonzi), Pogba, Matuidi (Tolisso), Griezmann, Mbappé e Giroud (Fekir).

Já Zlatko Dalic, técnico da Croácia, colocou em campo Subasic, Vrsaljko, Lovren, Vida, Strinic (Pjaca), Brozovic, Rakitic, Perisic, Modric, Rebic (Kramaric) e Mandzukic.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.