A Polícia Civil divulgou a identidade dos assaltantes que mataram pai e filho em uma loja no centro de Estância Velha

FONTE: O SUL
Na manhã dessa segunda-feira, menos de duas semanas após a morte dos dois proprietários – pai e filho – de uma relojoaria no Centro de Estância Velha (Vale do Sinos), a Polícia Civil gaúcha divulgou as identidades da dupla de assaltantes responsáveis pelo crime. Segundo as investigações, tratam-se de dois moradores da região e que possuem antecedentes criminais.

Estão com prisão preventiva decretada pela Justiça os jovens Rafael Santos Domingues, 19 anos, morador da Vila Brás (São Leopoldo) e Davi dos Santos Mello, 20 anos, da Vila Palmeira (Novo Hamburgo). Até o fim da noite, eles seguiam foragidos. Não está descartada a participação de um terceiro indivíduo, que teria participado como “olheiro” ou motorista do carro utilizado na ação.

Ainda segundo as autoridades, os dois suspeitos pelo latrocínio são amigos e um deles – Davi – estava em prisão domiciliar devido a uma condenação por roubo de veículo, em 2017. Ele foi reconhecido pela própria mãe, após a divulgação de cenas do crime registradas pelo circuito interno de vídeo da loja onde ocorreu o incidente. Já Rafael tem envolvimento com tráfico de drogas.

Tudo indica que o ataque à loja, por volta das 9h do dia 10 de abril, envolveu um planejamento detalhado. Para não serem reconhecidos, os dois assaltantes mudaram o visual para cometer o crime, na tentativa de evitar o reconhecimento. Eles providenciaram, por exemplo, tintura cabelo e barba em tons mais escuros, três dias antes, em um salão na periferia de São Leopoldo. E Rafael chegou a pintar o dorso de uma das mãos para esconder uma tatuagem, além de usar um falso óculos-de-grau.

Na coletiva de imprensa em que os investigadores tornaram pública a identificação dos criminosos, os delegados mostraram fotos de Rafael e Davi retiradas de suas redes sociais. Também já se sabe, pelas análises de balística, que duas armas-de-fogo tiveram cápsulas deflagradas na relojoaria durante o latrocínio, mas até agora nenhuma delas foi encontrada.

Já os veículos supostamente utilizados na ação e depois abandonados – um Honda Fit e um Ford Focus – ainda estão sob perícia. Neste segundo carro, foi encontrado um celular, mas a Polícia Civil afirma que ainda não há elementos capazes de estabelecer uma relação entre o telefone e o crime. Quem tiver informações úteis pode entrar em contato os investigadores pelos números 197 ou (51) 3561-1110.

O crime

Leomar Jacó Canova, 55 anos, e Luís Fernando Canova, 35, pai e filho, estavam na relojoaria Elaine, de propriedade da família, quando os dois homens armados invadiram o local, renderam e levaram os empresários para os fundos do estabelecimento.

Enquanto isso, as duas funcionárias da loja eram obrigadas a colocar entregar dinheiro, relógios e outros itens em uma sacola preta. Quando os assaltantes se preparavam para deixar o local, os empresários reagiram, tentaram entrar em luta corporal com a dupla e acabaram baleados fatalmente na cabeça.

Apesar da confusão no interior do estabelecimento de Estância Velha, os latrocidas conseguiram fugir com o produto do roubo – extraoficialmente, os itens estariam avaliados em mais de R$ 300 mil. Esses objetos podem estar sendo utilizados para bancar a fuga de Davi e Rafael, já que eles podem estar em Santa Catarina ou mesmo em outro Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.