Após sete anos de Balada Segura, número de motoristas flagrados embriagados caiu 40%

FONTE G1//O número de motoristas flagrados alcoolizados na direção em 2017 foi 40% menor em relação ao ano de 2011, quando o programa Balada Segura foi instituído pelo Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS). O dado foi divulgado para marcar o sétimo aniversário da iniciativa, e demonstra mudanças no comportamento dos motoristas gaúchos, embora ainda haja motivos para preocupação, segundo avaliação da diretora da Divisão de Fiscalização do Detran, Ana Lúcia Jodelis.

“É um trabalho a longo prazo, com parte educativa muito grande. A gente está nos locais, as pessoas testam o aparelho e vêem que funciona, ou seja, se não houve consumo de álcool, ele realmente não aponta nada”, diz Ana Lúcia.

Ela acredita que o programa provocou mudanças na mentalidade dos motoristas. É possível perceber, durante as fiscalizações, uma nova postura do motorista. “Percebemos, por exemplo, que entre um casal, normalmente um deles não bebeu para poder dirigir”, descreve.

Mesmo entre aqueles que foram flagrados, a penalidade é corretiva e resulta em um novo comportamento, como Ana Lúcia comenta. “Tem também aquela pessoa que foi abordada e foi suspensa, passou por toda a parte de responder administrativamente por isso, e teve o comportamento modificado”, diz.

E por fim, outras opções, como não sair de carro, chamar um táxi ou aplicativos de transporte, ou ainda combinar caronas, vêm ganhando a preferência das pessoas e ajudam a diminuir o número de embriagados ao volante, segundo Ana Lúcia.

“O mais importante é o esclarecimento. [os motoristas] Podem até manter o comportamento, mas sabem o que acontece. A blitz não é escondida, não é surpresa”, aponta a diretora.

Em 2011, quando o programa foi lançado em Porto Alegre, a proporção dos flagrantes de embriaguez entre os abordados na operação era de 12%. Esse percentual chegou a 7% em 2017, segundo dados do Detran-RS.

Capital e mais 33 cidades participantes
O número de veículos abordados deu um salto desde o início da Balada Segura: foram 5,3 mil em 2011, e 134 mil em 2017. Contribui com este índice o fato da operação estar presente em 33 municípios, além de Porto Alegre, que abrangem mais de 50% da população, já que são municípios de grande porte, como avalia Ana Lúcia.

Mesmo assim, com tanta divulgação e conscientização, por que ainda há motoristas que insistem em pegar no volante mesmo após terem consumido álcool? “O comportamento do motorista que bebe é o mesmo de sempre: acha que não vai ser pego, e se for, vai ter justiificativa”, conta a diretora.

Ainda persiste uma noção de que é preciso estar muito alcoolizado para ser inapto para a dirigir. “Muitas vezes dizem ‘mas a quantidade é pouca, tem que pegar um bêbado’. Mas qualquer quantidade pode colocar uma vida em risco”, aponta Ana Lúcia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.