Delegada vê crime premeditado em morte de homem que teve corpo carbonizado.

FONTE CORREIO DO POVO//Durante entrevista coletiva, realizada na manhã desta segunda-feira em Porto Alegre, a delegada Elisa Ferreira de Souza, da 6ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deu mais detalhes do crime contra Jonathan Rafael Maria, cujo corpo foi encontrado esquartejado e carbonizado em Eldorado do Sul. Elisa relatou que o crime foi planejado pelo suspeito, já preso, e afirmou ainda que a vítima foi pega de surpresa.

“Tudo indica que o crime foi premeditado, com motivação financeira. Os índicios são inúmeros. O suspeito sabia que a família do Jonathan estaria fora da cidade. Além disso, ele tem livre acesso à casa onde ocorreu o assassinato porque tem a chave e a senha do alarme”, disse a delegada.

Elisa esclareceu ainda que o suspeito contou aos policiais que usou uma arma antiga, que pertencia ao tio. “Ele indicou que a mesma não teria munição. Então, ele foi obrigado a adquirir a munição, montar a arma, porque se tratava de uma arma longa e ingressar na casa. A vítima foi pega de surpresa porque não há indício de luta corporal. Possivelmente, o Jonathan tenha sido morto com um tiro pelas costas porque ele não teve chance de defesa. E não temos evidência da participação de uma terceira pessoa”, acrescentou.

A delegada explicou que no dia 26 de dezembro o suspeito entregou para Jonathan Rafael um cheque no valor da dívida, ou seja, em torno de R$ 60 mil. “O Jonathan foi ao banco e verificou que o cheque não tinha fundos. Certamente, a partir daí houve uma intensificação dos ânimos e a partir disso o suspeito pode ter começado a pensar a eliminar o amigo para cessar essas cobranças”, frisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.