Encerram neste domingo (27) as inscrições para o um curso sobre colheita, extração, composição e análise sensorial de azeites de oliva de qualidade

FONTE: O SUL

Dias 28, 29 e 30, acontece em Porto Alegre, no Plaza São Rafael, um curso sobre colheita, extração e composição de azeites de oliva de qualidade. No dia 31, o curso foca na análise sensorial de azeites. Quem ministra é o agrônomo italiano Giuseppe Colantoni, com inúmeras premiações no segmento. As vagas são limitadas. Inscrições até o dia 27 pelo e-mail [email protected]

Segundo a organizadora e idealizadora do evento, Margarete Nicolodi, a escolha do agrônomo Giuseppe Colantoni se dá pela sua experiência, “um profissional que, embora jovem, nos 16 anos de atuação exclusiva em olivicultura, contribuiu de modo decisivo para que os azeites extraídos durante suas consultorias recebessem, em concursos como Sol d’Oro, Il Magnifico, l’Oro d’Italia, Il Leone d’Oro, l’Orciolo d’Oro e Il Bioil na Itália, mais de 40 prêmios”.

Margarete explica que o curso é uma oportunidade para aprender a reconhecer aromas e sabores, predicados como frutado (maduro ou verde, por exemplo, de grama cortada), picante e amargo (estes dois indicam o conteúdo de polifenóis), defeitos como ranço, mofo e avinagrado, dentre outros, e também sobre a oliveira, a azeitona, onde ele se forma e como é extraído, além de oferecer uma experiência sensorial, informativa, construtiva, prazerosa e divertida.

As oliveiras

A época da colheita das azeitonas nas oliveiras cultivadas no Brasil e da extração de azeites de oliva se aproxima Na região do Mediterrâneo as azeitonas são colhidas durante o outono, ou seja, a maior parte dos azeites são extraídos nos meses de outubro, novembro e dezembro em países como Espanha, Itália, Grécia e Portugal. No Brasil, a colheita ocorre na segunda metade do verão até o início do outono, em condições de temperatura, umidade e luminosidade muito maiores do que na região de origem. Esses fatores também são determinantes do nível de qualidade dos azeites. Aqui é muito mais importante fazer a curva de maturação das azeitonas, agilidade na colheita e extrair o azeite no mesmo dia.

O cultivo de oliveiras continua aumentando, desde o início deste século, principalmente nos estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e São Paulo e, com manejo adequado do solo e das plantas, é possível obter alta produtividade e azeites de alta qualidade. O sucesso dessa atividade agrícola, a rápida comercialização de toda a produção (inclusive antes que os azeites apresentem defeitos em intensidade que não os classifique mais como extravirgens) e a recuperação dos investimentos feitos durante anos são impulsionados positivamente pelo nível de conhecimento, teórico e prático, das pessoas envolvidas principalmente nos processos de extração de azeites e composição dos blends, com azeites extraídos de azeitonas de diferentes variedades (Arbequina, Arbosana e Koroneiki estão sendo cultivadas em áreas maiores). Considerando estes fatos, a exuberância da floração e a alta quantidade de frutas nas oliveiras, a Fertissol está oportunizando aperfeiçoamento técnico dessas pessoas, no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.