Estudante da UFRGS em intercâmbio na China é encontrado morto

FONTE: O SUL

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) confirmou, nesta segunda-feira (15), que o estudante Leonardo Cláudio da Rosa foi encontrado morto em Pequim, na China. O jovem cursava Letras há quatro anos e, em 2018, decidiu fazer intercâmbio na Ásia. A previsão de retorno dele ao Brasil era o meio deste ano.

Ainda não se sabe o que ocasionou o óbito de Leonardo. Conforme amigos do jovem relataram com exclusividade à equipe do O Sul, ele e o companheiro fizeram uma viagem de Pequim para Chong Qing. No local, Leonardo teria saído do hotel e enviado uma mensagem confusa ao namorado, que após esperar pelo retorno do companheiro, decidiu chamar a polícia local, iniciando as buscas durante o final de semana. O corpo teria sido encontrado somente nesta segunda-feira (15).

Nas redes socais do Instituto de Letras da UFRGS, foi divulgada uma nota de pesar. O texto aponta que ele “foi vítima de crime”, conforme “informações iniciais, provenientes de colegas de intercâmbio de Leonardo na China”. Confira a publicação:

Instituto de Letras UFRGS Campus do Vale
Há 12 horas
DECLARAÇÃO IMPORTANTE:

A direção do Instituto de Letras informa que, lamentavelmente, confirmou-se hoje, às 14h, a notícia do falecimento do aluno LEONARDO CLÁUDIO DA ROSA. As informações iniciais, provenientes de colegas de intercâmbio de Leonardo na China, indicam que foi vítima de crime, embora a direção não possa confirmar. A RELINTER e os órgãos superiores da Universidade estão acompanhando a situação junto com a família de Leonardo, o Ministério das Relações Exteriores e a Embaixada brasileira na China, a fim de providenciar o translado do corpo e determinar as circunstâncias da morte. A direção do IL expressa aqui sua profunda consternação e tristeza e envia, em nome da comunidade da Letras, seus sentimentos de solidariedade à família de Leonardo. Faremos o que estiver a nosso alcance para que as autoridades brasileiras busquem junto ao governo chinês o esclarecimento cabal dessa incompreensível tragédia.

Leonardo estava quase completando um ano no país asiático. Em seu perfil do Facebook, o intercambista comparava com frequência o estilo de vida dos chineses aos dos brasileiros. Assim como ele destacava pontos positivos de Pequim, como a facilidade do metrô que não tinha em Porto Alegre, ele também citava questões negativas, como jornadas de trabalho exaustivas, superiores a 8 horas diárias para estagiários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.