Lançado no Palácio Piratini o Observatório Gaúcho da Carne

FONTE O SUL//A Expointer de 2017 marcou o início de um projeto que agora sai do papel para fortalecer a pecuária gaúcha. É o Observatório Gaúcho da Carne que foi lançado nesta quinta-feira, ao meio-dia, no Palácio Piratini, com a presença de representantes do setor, autoridades e convidados. O secretário Ernani Polo abordou a proposta da iniciativa, que busca “a valorização e a qualidade da nossa pecuária no RS”. Segundo ele, “produzimos um produto de excelência mas podemos crescer ainda mais”.

Para tanto, o OGC passa a ser oferecido como uma grande inovação para a pecuária gaúcha, por meio de um website de livre acesso na internet, acessível a todos, ajudando a uniformizar as informações e permitindo uma melhor compreensão deste setor tão tradicional e importante para a economia do Estado.

“O Observatório Gaúcho da Carne se propõe a conquistar o espaço de entendimento do setor pecuário gaúcho, onde a informação extraída constrói a confiança por meio da transparência. Teremos dados coletados e conectados agilmente, de fácil acesso, onde se poderá realizar uma radiografia permanente e fiel do setor, para que se possa auxiliar, com estas informações, ao desenvolvimento de políticas de fomento, para maior qualidade da carne e consequente prospecção de novos mercados”, avalia o secretário da agricultura, Ernani Polo.

Na sequência, a responsável pelo desenvolvimento do projeto, Andréia Veríssimo, detalhou os passos já trilhados para oferecer ao setor dados unificados, através de uma plataforma de informações úteis à cadeia da carne. Veterinária, com formação na Nova Zelândia, ela vem atuando há muitos anos como promotora da carne brasileira no País e no exterior. Há cerca de sete anos atuando na busca de dados para a concepção do projeto, ela diz que foram realizadas pesquisas, ouvindo 350 pessoas e que o Observatório já conta com cerca de 1 bilhão de dados, contendo 11 tópicos e 72 páginas de informações valiosas que passam pela criação de animais, fluxo e sazonalidade, entre outros.

Como reitera Andréia Veríssimo, “o OGC contribui para reduzir a assimetria de informações entre os elos da cadeia produtiva da carne bovina, ao reunir o big data da pecuária do Rio Grande do Sul e transformá-lo em informação e conhecimento. Por meio de uma abordagem inovadora, o Observatório não coleta dados, e sim conecta grandes volumes de dados homologados, obtidos das mais diversas fontes públicas oficiais e/ou acreditadas, transformando-os em informações que passam a ter significado, e apresentando-as em painéis analíticos de fácil consulta, permitindo a compreensão das atividades realizadas pelo setor produtivo desde o nascimento dos animais até a exportação dos produtos gaúchos”.

O governador José Ivo Sartori enalteceu o projeto e abordou a importância de parcerias para a sua realização. Abraçam o projeto, ao lado da Secretaria da Agricultura do RS, a Farsul, Fundesa, Sicadergs e Governo do Estado, com o apoio de demais entidades representativas do setor pecuário gaúcho, universidades e instituições afins e relevantes, que solicitavam por ferramentas que ajudassem no desenvolvimento e valorização da pecuária gaúcha a partir de um núcleo de inteligência setorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *