Pesquisa avalia atendimento em unidades de saúde em Porto Alegre.

FONTE O SUL//Para qualificar serviços e ações na atenção primária à saúde, a SMS (Secretaria Municipal de Saúde) optou por um instrumento de avaliação baseado em perguntas feitas a usuários e profissionais. O PCA Tool (Primary Care Assessment Tool), como é conhecido, permite a produção de um escore geral da atenção primária, com valores de zero a dez, considerando índices adequados quando superiores a 6,6. A pesquisa será feita com 1349 adultos e 537 crianças que passaram por atendimento médico e 505 adultos que receberam atendimento de saúde bucal.

Nesta segunda-feira (8), começa a fase de entrevistas nas unidades de saúde, na qual são convidadas a participar pessoas que utilizam o serviço e já fizeram, no mínimo, duas consultas. Durante o processo, serão avaliados quatro atributos: acesso aos serviços da atenção primária, formação de vínculo com os profissionais, cuidado integral e acompanhamento do paciente na rede de saúde.

Em três meses, serão avaliados os serviços nas 140 unidades de saúde. Entre os objetivos da pesquisa está informar e influenciar a tomada de decisão, implementar mudanças orientadas por evidências, possibilitar transparência das ações e construir conhecimento.

O PCA Tool é realizado pela SMS, via Coordenação da Atenção Primária e Assessoria de Planejamento. A pesquisa será aplicada por servidores da secretaria e do Imesf (Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família), Conselho Municipal de Saúde e estagiários/residentes, que passaram por treinamento no mês de dezembro.

Público que poderá responder à pesquisa:

– Cuidados médicos: adultos com 18 anos ou mais e crianças com 12 anos ou menos, representadas pelos cuidadores, que consultaram com o médico no mínimo duas vezes – no dia da entrevista e mais uma consulta prévia.

– Cuidados de saúde bucal: adultos com 18 anos ou mais, que consultaram com o dentista no mínimo duas vezes – no dia da entrevista e mais uma consulta prévia.

– Médicos e gerentes/coordenadores: profissionais há mais de seis meses na função de médico de família ou coordenador da unidade de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.