Policial civil morto em operação será velado nesta quarta-feira em Porto Alegre

FONTE: O SUL

Será velado nesta quarta-feira (17), o policial civil morto nesta terça (16), durante operação contra crimes rurais, em Montenegro, no Vale do Caí. O velório terá início às 7h30, no Salão Nobre do Cemitério Jardim da Paz, em Porto Alegre, e o sepultamento ocorrerá às 11h30.

Edler Gomes dos Santos, de 54 anos, integrava o setor de combate a crimes de lavagem de dinheiro do Denarc. Ele deixa Na ação, outro policial foi ferido com um tiro de raspão. Esta é a quarta morte, no Rio Grande do Sul, envolvendo agentes da polícia em menos de três semanas.

Um dos criminosos também foi morto no confronto. A chefe da Polícia Civil gaúcha, Nadine Anflor, e o titular do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), Vladimir Urach, estão se deslocando para Montenegro. Na operação, estão sendo cumpridos 84 mandados de busca e apreensão em 37 municípios em praticamente todas as regiões do estado.

Nota da Polícia Civil

(Foto: O Sul)
“A Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul manifesta seu mais profundo pesar pelo falecimento do escrivão de polícia Edler Gomes dos Santos.

Edler faleceu nesta manhã, 16 de julho de 2019, durante cumprimento do seu dever como policial e defensor da sociedade, enquanto cumpria ordem judicial durante operação policial em Montenegro. O policial civil foi alvejado com disparo de arma de fogo durante a ação.

Edler, 54 anos, se formou em 2010 e estava lotado na Delegacia de Lavagem de Dinheiro do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).

A Polícia Civil se solidariza com a dor dos familiares, policiais e amigos, diante desta perda irreparável.

Nadine Farias Anflor, Chefe de Polícia”

A Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Rio Grande do Sul (ASDEP-RS) também se manifestou em pesar.

Nota da ASDEP:

Mais uma vez, a Polícia Civil está enlutada pela morte em serviço de um de seus membros. EDLER GOMES DOS SANTOS tombou vítima de tiros recebidos durante ação policial em Montenegro/RS, nesta manhã, em defesa da sociedade rio-grandense.

Os Delegados de Polícia do Estado do Rio Grande do Sul, por sua entidade de classe, manifestam seu profundo pesar pela perda e se irmanam aos familiares de Edler nesse momento de extrema dor.

Entretanto, embora seja da essência da missão de todo policial colocar sua vida em risco na defesa da sociedade, não é mais admissível que a administração pública continue a exigir sacrifícios dele sem dar, pelo menos, a contraprestação mínima: condições de trabalho, remuneração digna, paga em dia, e reconhecimento de que a carreira policial é diferenciada por expor seus agentes a perigo constante e iminente. Se assim não for, a sociedade corre o risco de eles passarem a agir como a administração os trata: como meros funcionários públicos, e não como o braço armado da cidadania, garantidores da segurança pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.