Presos passam a madrugada em viaturas, e policiamento é afetado em Porto Alegre

FONTE: G1.COM/RS

Oito viaturas da Brigada Militar saíram de circulação na madrugada desta quarta-feira (11) em Porto Alegre para abrigar presos em viaturas por conta da falta de vagas em unidades prisionais do Rio Grande do Sul. Com isso, 14 policiais deixaram de fazer a segurança nas ruas.

Os policiais ficaram horas em frente ao Palácio da Polícia, em Porto Alegre, para custodiar os presos que aguardavam por vagas. Outros 12 presos estavam dentro da delegacia.

Policial militar faz a custódia de preso dentro de viatura no Palácio da Polícia em Porto Alegre (Foto: Estevão Pires/RBS TV) Policial militar faz a custódia de preso dentro de viatura no Palácio da Polícia em Porto Alegre (Foto: Estevão Pires/RBS TV)
Policial militar faz a custódia de preso dentro de viatura no Palácio da Polícia em Porto Alegre (Foto: Estevão Pires/RBS TV)
A situação fez com que se formasse uma fila de carros da polícia em frente ao palácio, desde a esquina da Avenida João Pessoa e ao longo da Avenida Ipiranga.

Os presos ficam dentro das viaturas porque a delegacia estava com as 12 vagas disponíveis ocupadas. Enquanto isso, a BM negociava com a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) as vagas, para que os agentes pudessem realizar o policiamento.

A Susepe diz que apenas os presos que chegam ao sistema carcerária estão sob sua responsabilidade, levando em conta que os criminosos são presos pela BM, e depois encaminhados pela Polícia Civil para os presídios. No entanto, ainda não respondeu sobre a falta de vagas que seria a causa do acúmulo de presos em frente ao Palácio da Polícia.

Quatorze presos ficaram dentro de viaturas durante a madrugada por falta de vagas no sistema carcerário (Foto: Estevão Pires/RBS TV) Quatorze presos ficaram dentro de viaturas durante a madrugada por falta de vagas no sistema carcerário (Foto: Estevão Pires/RBS TV)
Quatorze presos ficaram dentro de viaturas durante a madrugada por falta de vagas no sistema carcerário (Foto: Estevão Pires/RBS TV)

De acordo com o capitão Roberto Nascimento, é evidente que a situação acarreta em prejuízos para o policiamento. “A ideia sempre é de não desguarnecer a questão do policiamento na nossa cidade, então a gente, através de alguns remanejos, procura viabilizar o máximo de policiais na rua”, afirma.

Quatro das oito unidades da Brigada Militar de Porto Alegre tiveram desfalques de policiais e viaturas durante a madrugada. Como medida de segurança, não é divulgado quantos veículos e policiais continuam fazendo o trabalho de policiamento.

O acúmulo de presos é quase uma rotina no Rio Grande do Sul, mas a situação começou a piorar por volta das 20h de terça (10).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.