Técnicos do Ministério da Saúde vistoriam rede de água de Santa Maria após protozoário ser localizado

FONTE: G1.COM

Técnicos do Ministério da Saúde estão em Santa Maria esta semana para realizar vistorias em toda a rede de água da cidade da Região Central do Rio Grande do Sul. São dois profissionais do Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua), que atuarão até sexta-feira (20) em trabalho conjunto com as equipes de Saúde do município.

O grupo visitou uma barragem em Val de Serra e a barragem do DNOS, que abastecem Santa Maria e também mananciais e reservatórios para identificar possíveis riscos de toxoplasmose na água consumida pelos moradores da cidade.

Esta quinta-feira (19) marca três meses do anúncio de que a cidade enfrenta um surto de toxoplasmose.

Os técnicos do Ministério da Saúde trabalham em conjunto com as equipes de Saúde do município. (Foto: Prefeitura de Santa Maria/Divulgação) Os técnicos do Ministério da Saúde trabalham em conjunto com as equipes de Saúde do município. (Foto: Prefeitura de Santa Maria/Divulgação)
Os técnicos do Ministério da Saúde trabalham em conjunto com as equipes de Saúde do município. (Foto: Prefeitura de Santa Maria/Divulgação)
O número de casos confirmados da doença totaliza 621, segundo último boletim do governo do Rio Grande do Sul e da Prefeitura de Santa Maria. Desde o último dia 29, data do informe anterior, 27 novos registros foram contabilizados. A divulgação do boletim é feita quinzenalmente.

Os reservatórios de Santa Maria passaram por uma limpeza esta semana. O trabalho acontece todos os anos, mas desta vez foi antecipado por causa do surto.

O reservatório na estação de tratamento de água da Corsan, no bairro Chácara das Flores, deve ser limpo no fim de semana. O objetivo é reconhecer pontos de possíveis riscos da doença nos mananciais.

O grupo visitou uma barragem em Val de Serra e a barragem do DNOS, que abastecem a cidade. (Foto: Prefeitura de Santa Maria/Divulgação) O grupo visitou uma barragem em Val de Serra e a barragem do DNOS, que abastecem a cidade. (Foto: Prefeitura de Santa Maria/Divulgação)
O grupo visitou uma barragem em Val de Serra e a barragem do DNOS, que abastecem a cidade. (Foto: Prefeitura de Santa Maria/Divulgação)
Caso confirmado
O resultado de um exame realizado pela Universidade Estadual de Londrina, no Paraná, confirmou que o protozoário que causa toxoplasmose (Toxoplasma gondii) foi encontrado na água de uma casa em Santa Maria.

Conforme a procuradora Tatiana Dornelles, o protozoário estava no lodo decantado de uma casa no Centro da cidade, que era abastecida somente pela Corsan. Em nota, a companhia de abastecimento diz que “foram identificados outros contaminantes” no endereço, “decorrentes de fezes de animais, o que corrobora as condições inadequadas de manutenção e limpeza desse reservatório.”

A doença
A toxoplasmose, cujo nome popular é doença do gato, é uma doença infecciosa causada por um protozoário chamado Toxoplasma gondii. Este protozoário é facilmente encontrado na natureza e pode causar infecção em grande número de mamíferos e pássaros no mundo todo.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia, a doença pode ocorrer pela ingestão de oocistos (onde o parasita se desenvolve) provenientes do solo, areia, latas de lixo contaminadas com fezes de gatos infectados; ingestão de carne crua e mal cozida infectada com cistos, especialmente carne de porco e carneiro; ou por intermédio de infecção transplacentária, ocorrendo em 40% dos fetos de mães que adquiriam a infecção durante a gravidez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.