Confirmado oficialmente o primeiro caso de varíola dos macacos no Rio Grande do Sul

FONTE: O SUL

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) recebeu do Ministério da Saúde, neste domingo (12), a confirmação do primeiro caso da varíola dos macacos (“monkeypox”) no Rio Grande do Sul. Trata-se do terceiro resultado positivo da doença no Brasil desde o dia 9 de junho – os anteriores foram registrados no Estado de São Paulo.

Obtido em laboratório por meio de teste RT-PCR no Instituto Adolf Lutz de São Paulo (IAL-SP), o caso gaúcho  tem como paciente um homem que mora em Portugal e está em Porto Alegre por motivo de viagem. Sua situação é monitorada desde 27 de maio – ele havia procurado atendimento médico nos dias 19 e 23.

Em seu relato, o indivíduo afirmou não saber se teve contato no país europeu com pessoas que apresentassem suspeita ou confirmação da doença. Ele já apresenta melhora parcial dos sintomas, por meio de tratamento recebido em casa.

“O paciente esta evoluindo bem e segue em isolamento em domicilio com os seus contatos, sendo monitorado pela Secretaria Estadual de Saúde”, frisou o governo gaúcho em comunicado oficial na noite deste domingo.

Medidas de controle foram adotadas em caráter imediato, como isolamento e rastreamento de contatos em voo internacional, com o apoio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “A Secretaria de Vigilância do Ministério da Saúde já notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre cumprimento das regras”, acrescentou o órgão estadual.

A SES continua em articulação direta com a Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre e com Ministério da Saúde, por meio da Sala de Situação de Monkeypox, para monitoramento do caso e rastreamento dos contatos. “Todas as medidas de contenção e controle foram adotadas desde a notificação”, assegura.

Nos dois casos de São Paulo, os pacientes também são homens. Um tem 41 anos, reside na capital e está internado no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, com boa evolução do quadro clínico, ao passo que o outro tem 29 anos é reside em Vinhedo com histórico de viagem para Portugal e Espanha. Ao todo, estão sob investigação seis possíveis casos no País.

Sobre a doença

A varíola dos macacos é uma doença infectocontagiosa encontrada principalmente nas regiões ocidental e central da África. Sua transmissão ocorre por meio de contato direto com pessoa infectada que apresente lesões na pele, ou então através de gotículas de saliva.

Os sintomas iniciais são semelhantes aos da gripe, como febre, calafrios, exaustão, dor de cabeça e fraqueza muscular, seguidos de inchaço nos gânglios linfáticos, que ajudam o corpo a combater infecções e doenças. Depois  pode evoluir para erupção cutânea com bolhas no rosto, mãos, pés e genitais, além de febre, falta de energia, dores de cabeça e musculares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.