Governo do Rio Grande do Sul estuda possibilidade de utilizar “sobras” de vacinas para imunizar professores

FONTE: O SUL

O Governo do Rio Grande do Sul ainda busca a melhor forma de dar início à vacinação dos profissionais da educação sem que haja prejuízo à ordem determinada pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações), que exclui o setor dos grupos prioritários. No momento, a alternativa que se mostra mais promissora é a utilização das “sobras” dos frascos, que são observadas nos principais pontos de imunização contra a Covid-19.

O aproveitamento da chamada “xepa da vacina” entre os professores já foi promovido, de forma independente, por municípios como São Leopoldo – onde já foram atendidos os servidores de 13 instituições da Educação Infantil.

A retomada das atividades presenciais nas escolas gaúchas mobiliza cerca de 60 mil pessoas, entre professores e profissionais de apoio. Ou seja: são necessárias 120 mil doses de vacinas contra a Covid-19 para garantir a imunização completa da categoria. O cálculo não leva em consideração os servidores que permanecem em home office, como é o caso dos que cumprem expediente interno na Seduc (Secretaria da Educação).

Contratações

A educação receberá, nos próximos meses, o reforço de servidores temporários, que vão substituir os profissionais dos grupos de risco nas escolas até o controle da pandemia. Por outro lado, o Palácio Piratini admite que pode cortar o ponto dos professores que não apresentarem uma justificativa para o não-comparecimento às salas de aula. Até o momento, nenhuma medida do tipo foi tomada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.