Governo federal quer erradicar a malária no Brasil até 2035

FONTE: O SUL

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, apresentou, nesta quarta-feira (11), o Plano Nacional de Eliminação da Malária, que consiste na eliminação da doença no País até 2035. Entre as metas estão a de chegar a 2025 com menos de 68 mil casos e a 2030 com menos de 14 mil casos autóctones (que têm transmissão relatada dentro do Brasil). O governo também pretende eliminar a doença até 2035 no País.

Segundo a pasta, foram notificados 139.211 casos da malária em 2021, redução de 4,1% em comparação aos 145.205 casos no ano anterior. No Brasil, cerca de 99,9% das transmissões ocorrem na região amazônica, com 33 municípios concentrando 80% do total de casos com transmissão interna em 2021.

A partir deste ano, por causa dos dados, haverá ampliação do Projeto Apoiadores Municipais para Prevenção, Controle e Eliminação da Malária. As vagas na região amazônica passarão de 26 para 35 municípios apoiados nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Mato Grosso.

A doença é causada por uma das quatro espécies de Plasmodium, um protozoário que chega a humanos por meio da picada do mosquito Anopheles (mosquito-prego). O Manual MSD de Diagnóstico e Tratamento destaca que o período de incubação (entre a infecção e o início dos sintomas) varia de nove dias a um mês, dependendo da espécie que picou a pessoa.

Por ser transmitida exclusivamente pelo mosquito, a malária não é contagiosa, ou seja, uma pessoa doente não a transmite a outro indivíduo. No entanto, a cadeia de transmissão envolve sempre dois hospedeiros. Dessa forma, uma pessoa que mantenha o protozoário em seu organismo e seja picada pelo Anopheles pode permitir que ele leve a doença a outro indivíduo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.