Idoso que estuprava neta em Canoas era policial

FONTE: GBC

A Polícia Civil divulgou no final da manhã desta quarta-feira (17) mais detalhes da prisão do avô que estuprava a neta em Canoas. O preso, de 67 anos, que não teve a identidade divulgada, é policial militar da reserva.

De acordo com a investigação conduzida pela Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) de Canoas, o preso denunciou, em 2019, o padrasto da vítima a estuprava. O homem foi preso e a criança acabou indo morar, junto com os irmãos, na casa do avô.

Na residência do acusado, ele dormia com as duas netas no quarto enquanto o neto dormia no sofá da sala. O homem começou os abusos e retirou uma das crianças do quarto, passando a dormir apenas com a vítima. A irmã da vítima confirmou, em depoimento especial, ter visto os estupros.

Os policiais apuraram que ele passou a levar uma vida de casal com a menor. “Ele chegou a dizer para a vítima que, quando a avó dela morreu, nasceu uma estrelinha no céu. Depois, quando ela foi para casa dele, o preso disse que a estrelinha desceu do céu para a casa dos dois”, conta o delegado Pablo Queiroz Rocha.

A menina, junto com a irmã, procurou a mãe que mora no bairro Harmonia, após dois anos de abusos para contar o que estava acontecendo. A mãe procurou a delegacia e denunciou o crime. Enquanto era investigado, o avô tentou atrapalhar o trabalho da investigação. Uma das maneiras foi pedindo para que um neto se passasse pela vítima fazendo declarações para negar os abusos.

O preso responderá por estupro de vulnerável, violação de medida protetiva, fraude processual e corrupção de menores. Por se tratar de um PM da reserva, o homem encaminhado a prisão especial, em cumprimento ao mandamento legal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.