Jornal afirma que o Reino Unido só espera aprovação para iniciar vacinação contra o coronavírus

FONTE: O SUL
O Reino Unido deve começar a vacinação contra a covid-19 no início de dezembro. O país espera a aprovação do imunizante produzido pelo grupo farmacêutico americano Pfizer junto com a empresa alemã BioNTech, o que deve acontecer nos próximos dias, segundo informou o jornal Financial Times.

A entrega das vacinas começaria poucas horas após sua aprovação pelo órgão regulador britânico, conforme disseram funcionários do governo ao jornal. As primeiras doses seriam dadas a partir de 7 de dezembro.

Em geral, na Europa, vacinas e demais insumos de saúde precisão ser autorizados pela Agência Europeia de Medicamentos. Essa regra serve também para o Reino Unido até, pelo menos, o final da transição do Brexit. Porém, a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde do país pode conceder a autorização temporariamente em casos urgência pública.

O Reino Unido já encomendou 40 milhões de doses da vacina da Pfizer, cujos dados iniciais mostram uma eficácia de 95% do insumo administrado em duas doses.

Na última sexta-feira (27), o governo britânico também pediu à agência para que avalie a vacina desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.

Segundo o jornal inglês The Guardian, os hospitais na Inglaterra já se preparam para receber as vacinas, cujos primeiros estoques devem chegar entre os dias 7 e 9 de dezembro. Os primeiros a receber o imunizante serão os trabalhadores do Serviço de Saúde Nacional (NHS).

Embora o governo do primeiro-ministro Boris Johnson tenha anunciado que idosos e funcionários de asilos teriam prioridade para a vacina, o planejamento deve que ser mudado devido à natureza do insumo. Ele deve ser armazenado a -70°C e só pode ser mantido na geladeira por no máximo cinco dias antes de administrado.

Alemanha
As autoridades alemãs estão criando centros de vacinação em diferentes regiões do país. O objetivo é deixar tudo pronto caso a vacina criada pela Pfizer e a empresa alemã BioNTech seja aprovada pelas autoridades sanitárias em dezembro.

Em Berlim, o hospital montado às pressas para receber os pacientes contaminados em março e abril está fechado e é um dos locais que deve ser utilizado para imunizar a população. Albrecht Broemme, especialista em missões humanitárias no exterior, deve preparar a vacinação de 450 mil habitantes da capital até a metade de dezembro.

O objetivo, diz, é realizar 20 mil injeções por dia. “A ideia é que cada pessoa fique cerca de 1h15 no local”, declara. Segundo ele, serão necessárias duas doses. A campanha, disse, deve durar dois meses e apenas idosos e pessoas que pertencem ao grupo de risco, como diabéticos, obesos e hipertensos, serão imunizados.

Em seguida, as vacinas serão feitas pelos médicos em seus consultórios. Antes disso, o governo precisará organizar a logística em torno da conservação da vacina da Pfizer/BioNTech, que deve ser guardada a – 75 ºC, o que exige congeladores especiais.

Os centros de vacinação devem ficar abertos sete dias por semana, das 9h às 19h. O governo pretende convocar enfermeiros aposentados, estudantes de Medicina, recepcionistas e agentes de segurança para auxiliar na campanha. Mais de 300 pessoas já propuseram seus serviços espontaneamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.