O presidente Michel Temer e o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, entregam caminhonetes para reforçar combate ao mosquito Aedes aegypti no país.

Mais de 90 municípios gaúchos estão em situação de alerta ou apresentam risco de surto de dengue, zika e chikungunya

FONTE: O SUL

No Rio Grande do Sul, 93 municípios estão em situação de alerta ou apresentam risco de surto de dengue, zika e chikungunya, de acordo com o novo LIRAa (Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti), divulgado pelo Ministério da Saúde. Desse total, 84 estão em alerta e nove em risco de surto das doenças.

Outras 212 cidades estão em situação satisfatória e 143 municípios utilizaram armadilha, metodologia usada quando a infestação do mosquito é muito baixa ou inexistente. A Capital gaúcha fez o monitoramento por armadilha. No Rio Grande do Sul, a maior parte dos criadouros foi encontrada em depósitos domiciliares (645), depósitos de lixo (508) e água (306), conforme o Ministério da Saúde.

Na quarta-feira (12), em Brasília, o presidente Michel Temer e o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, entregaram 1 mil caminhonetes para diferentes regiões do País. Os veículos serão usados no combate ao mosquito Aedes aegypti. Ao todo, o Ministério da Saúde investiu R$ 109,4 milhões na aquisição das caminhonetes. Com esses veículos, os Estados e municípios podem acoplar os equipamentos de fumacê para ações locais.

Na ocasião, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, apresentou os dados do LIRAa e lançou o Sistema Integrado de Controle de Vetores, que substituirá o Sistema do Programa Nacional de Controle da Dengue com informações georreferenciadas para o controle do Aedes aegypti e do Aedes albopictus.

Todas as capitais do País realizaram um dos monitoramentos de mosquito: 25 realizaram o LIRAa; e duas, armadilhas. Estão com índices satisfatórios os municípios de Curitiba (PR), Teresina (PI), João Pessoa (PB), Florianópolis (SC), São Paulo (SP), Macapá (AP), Maceió (AL), Fortaleza (CE) e Aracaju (SE). As capitais com índices em estado de alerta são: Manaus (AM), Belo Horizonte (MG) Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), São Luís (MA), Belém (PA), Vitória (ES), Salvador (BA), Porto Velho (RO), Goiânia (GO) e Campo Grande (MS).

Já as capitais Palmas (TO), Boa Vista (RR) Cuiabá (MT) e Rio Branco (AC) estão em risco de surto de dengue, zika e chikungunya por apresentarem Índice de Infestação Predial igual ou superior a 4%. As capitais Natal (RN) e Porto Alegre fizeram o levantamento por armadilha. Todas as formas de coleta de dados ocorreram no período de outubro e novembro deste ano.

O Ministério da Saúde recomenda aos municípios brasileiros que realizem pelo menos quatro vezes ao ano o LIRAa. Em janeiro de 2017, a pasta publicou a Resolução número 12, que torna obrigatório o levantamento entomológico de infestação por Aedes aegypti pelos municípios e o envio das informações para as Secretarias Estaduais de Saúde e, depois, para o Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.