O técnico Tite aceitou a proposta da CBF e renovou seu contrato para comandar a Seleção Brasileira até a Copa de 2022

O técnico Tite renovou o contrato com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para comandar a Seleção Brasileira até a Copa do Mundo de 2022. O acordo foi finalizado nesta quarta-feira (25). Os valores da negociação não foram revelados. As informações são do jornal Folha de S.Paulo e da CBF.

Contratado em 2016, o treinador recebia cerca de R$ 600 mil por mês e não deverá ganhar um aumento após a fracassada campanha da equipe na Copa da Rússia.

No último dia 6, o Brasil comandado por Tite foi eliminado do Mundial da Rússia após ser derrotado pela Bélgica, por 2 a 1, nas quartas de final. Apesar da excelente campanha do time pré-Copa, a Seleção não convenceu no torneio. No comando, Tite não conseguiu enquadrar o atacante Neymar, uma das decepções do Mundial.

O técnico já começa a trabalhar na próxima semana. Em agosto, ele fará a primeira convocação após permanecer no cargo, quando chamará os jogadores para dois amistosos nos EUA, em setembro. No próximo dia 7, a equipe nacional enfrenta os donos da casa.

O segundo compromisso será provavelmente contra El Salvador, no dia 11, em Washington. Há dois anos no cargo, o treinador acumulou 20 vitórias, quatro empates e duas derrotas.

Antes da Copa do Qatar, Tite terá um compromisso decisivo no próximo ano: a Copa América. O torneio continental será disputado no Brasil. Um novo fracasso do time pode aumentar a pressão sobre o técnico. O campeonato será realizado em cinco cidades: São Paulo, Rio, Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador.

A comissão técnica também será enxugada. No Mundial, Tite contou com a ajuda de 40 profissionais, o que não acontecerá nos amistosos até a Copa América. Serão oito jogos antes da Copa América. Logo após o torneio continental, em 2019, a seleção começa a disputar as eliminatórias da Copa do Qatar.

Longo prazo

O coordenador de Seleções, Edu Gaspar, também teve o contrato renovado até o final da Copa do Mundo de 2022. “A CBF está investindo em um projeto de longo prazo ao garantir à Comissão Técnica seis anos e meio à frente da Seleção. Acreditamos que planejamento cuidadoso e execução criteriosa conduzirão o futebol brasileiro aos resultados que esperamos” afirma o diretor Executivo de Gestão da entidade, Rogério Caboclo.

Para Rogério Caboclo, que foi o chefe da delegação brasileira na Copa da Rússia, a renovação com Tite e Edu foi uma decisão natural. “Ao longo dessa primeira fase na CBF eles demonstraram alinhamento a valores que acreditamos muito, como talento, competência e dedicação”, concluiu.

Edu destaca o apoio que a Comissão Técnica obteve da direção da CBF e entende que a renovação é um reconhecimento de que o trabalho está no caminho certo. “A equipe teve as condições necessárias para uma preparação de primeira linha em todos os momentos. A CBF não poupou esforços em nos atender e isso criou um ambiente de apoio e de respeito que nos dá tranquilidade para a continuidade do trabalho”, disse Edu.

Para Tite, “a experiência desse primeiro ciclo estabeleceu uma relação de confiança entre todos, que vai se refletir no próximo passo”. Para o treinador, o aprendizado servirá de base para a nova etapa, que tem grandes objetivos.

“Entendo que a CBF nos deu as condições para construir um ambiente de união e de profissionalismo extremo e assim continuaremos. É um grande desafio e estamos felizes em enfrentá-lo, já com o foco voltado aos próximos jogos e competições”, finalizou Tite, que soma 26 partidas à frente da Seleção Brasileira, com 20 vitórias, 4 empates e 2 derrotas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.