Grupo assalta agências bancárias em cidade do Noroeste do Estado

FONTE CORREIO DO POVO//Um grupo assaltou duas agências bancárias – uma do Banrisul e outra do Sicredi – em Santo Expedito do Sul, no Noroeste do Estado, que tem cerca de 2,4 mil habitantes. O crime ocorreu no início da tarde desta quarta-feira. Utilizando métodos semelhantes a outras ações no interior gaúcho, a quadrilha chegou a fazer um cordão humano antes da fuga.

Na ação, tiros foram disparados para o alto, segundo a Brigada Militar. Ao deixarem o local, o grupo levou dois reféns, que já foram liberados. O veículo utilizado, um Space Fox, no ataque foi incendiado na estrada de chão que vai em direção à Linha Kern.

A Brigada Militar faz buscas na região e acredita que pelo menos três pessoas participaram do assalto.

Ataques pelo Estado

Em maio, pelo menos três assaltos a bancos foram registrados no Rio Grande do Sul, especificamente no Vale do Taquari. Uma quadrilha atacou duas agências bancárias na cidade de Colinas, onde o primeiro alvo foi o banco do Sicredi, no qual não conseguiram efetuar o assalto, e logo migraram para o posto do Banrisul, segundo informou delegado João Paulo de Abreu. Os criminosos efetuaram disparos a esmo para amedrontar os moradores e “tomaram de refém uma pessoa que estava lavando um ônibus”. Na fuga, a quadrilha espalhou miguelitos que impediram uma eventual perseguição policial por parte da Brigada Militar (BM).

Em Vespasiano Corrêa também uma agência bancária do Banrisul foi atacada por criminosos, que também teriam tentado invadir uma lotérica que fica próximo ao banco. Segundo a BM, o grupo usou explosivos para acessar os caixas eletrônicos. Na fuga, os criminosos deixaram um caminhão atravessado na pista para dificultar a chegada dos policiais. Dois suspeitos de integrarem a quadrilha foram mortos em um confronto com a BM.

Na cidade de Água Santa, as agências do Banrisul e Sicredi também foram assaltadas por uma quadrilha. O grupo foi preso pela BM em Ijuí, localizada a 230 quilômetros do município. Segundo os policiais, os criminosos praticavam furtos em todas as regiões há mais de uma década e todos tinham uma extensa ficha criminal e passagens pela penitenciária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.